Grupos “radicais” pró-Palestina visam templos nos EUA para fazer protestos

  • 05/04/2024
Grupos “radicais” pró-Palestina visam templos nos EUA para fazer protestos
Grupos “radicais” pró-Palestina visam templos nos EUA para fazer protestos (Foto: Reprodução)

Recentemente, o movimento pró-palestino começou a protestar em locais de culto nos Estados Unidos, gerando indignação e acusações de exemplificar assédio e intimidação direcionados, com alguns críticos afirmando que estão tentando assustar crianças. 

Nas últimas duas semanas, houve cerca de três protestos realizados nos EUA. 

Após milhares de manifestantes pró-palestinos se reunirem na Times Square para o "Dia da Terra Palestina", alguns protestaram na Vigília de Páscoa na catedral de São Patrício, em Nova York, no último sábado (30).

Durante a missa, gritos de “Palestina livre” puderam ser ouvidos. Então, os manifestantes foram retirados do culto momentos depois. 

Vídeos publicados nas redes sociais mostram manifestantes da “Rebelião da Extinção” exibindo uma faixa com as palavras “Silêncio = Morte” em frente à igreja.

Outros protestos, que também foram organizados por grupos pró-Palestina, tiveram como alvo sinagogas. 

Um deles foi um evento na última segunda-feira (1), na Congregação Bnai Yeshurun ​​em Teaneck, Nova Jersey, em homenagem a um voluntário da ZAKA (organização que recolhe partes de corpos de vítimas de terrorismo para lhes proporcionar um enterro respeitoso). 

Segundo a Fox News, o homenageado, Simcha Greiniman, relatou as atrocidades de 7 de outubro que testemunhou nas Nações Unidas.

“Entrávamos em uma sala cheia de sangue e não víamos nenhum sinal de tiroteio ou bombardeio. Lá, os terroristas do Hamas não usavam uma arma para matar suas vítimas, eles usavam um machado para cortá-las em pedaços”, disse Greiniman. 

Alerta aos americanos

Organizações pró-palestinas alegaram que o ZAKA reforça "alegações falsas que alimentam o genocídio em Gaza". 

“ZAKA enterra os pequenos pedaços dos corpos judeus que foram alvos deste terrorismo do Hamas. Acho que é pura intimidação. Puro assédio”, contou Jason Greenblatt, antigo enviado da Casa Branca ao Médio Oriente.

Greenblatt informou que foi o segundo evento na área judaica onde estrangeiros, que ele descreveu como "absolutamente sinistros", entraram "para tentar intimidar a cidade" e "assustar nossos filhos".

"Isso mostra a natureza do que essas pessoas realmente querem fazer. E, a propósito, não é apenas o ódio aos judeus. Muitas dessas pessoas odeiam a América", declarou ele. 

E continuou: “De muitas das filmagens que vi dos sinais presentes eles querem destruir o que a América representa, eles não defendem a paz”.

"Eles têm um sentimento antiamericano. E isso é algo que espero que as pessoas prestem atenção porque se elas não acordarem e lutarem contra isso, pode causar danos tremendos nos Estados Unidos", acrescentou. 

A face off between those who love 🇺🇸& 🇮🇱, proud Jews, non Jews and proud Americans vs. spreaders of hate & chaos. pic.twitter.com/u2phHOUkaI

— Jason D. Greenblatt (@GreenblattJD) April 1, 2024

Greenblatt compartilhou um vídeo do evento no X e escreveu: "Um confronto entre aqueles que amam a América e Israel, judeus orgulhosos, não judeus e americanos orgulhosos contra espalhadores de ódio e caos".

Mais protestos

Na última quarta-feira (3), grupos pró-Palestina organizaram um protesto no “Young Israel of Woodmere”, onde ocorreu um evento imobiliário em Israel. A sinagoga reforçou a sua própria equipe de segurança com a polícia local para “monitorizar a situação e manter a ordem”. 

A liderança da sinagoga disse à congregação por e-mail: 

"Queríamos entrar em contato com vocês sobre um protesto anti-Israel planejado para amanhã à noite, durante um evento imobiliário em Israel que acontecerá em nossa sinagoga. A segurança de nossos membros e da comunidade são de extrema importância para nós e queremos assegurar que estamos tomando medidas ativas para garantir um ambiente seguro para todos os envolvidos". 

“Alvejar locais de culto para protestar contra uma guerra é desumano. Não faz nada além de criar risco de violência, prejudica o diálogo e afeta indivíduos inocentes. Estes fatores não fazem nada para impedir o movimento radical 'Palestina Livre'”, destacou Liora Rez, do StopAntisemitism, à Fox News. 

O movimento pró-Palestina também organizou protestos em outros locais religiosos, incluindo uma angariação de fundos de Natal para crianças cegas, em dezembro de 2023. 

Os manifestantes ergueram bandeiras palestinas enquanto pisavam no palco e gritavam sobre Gaza antes de serem retirados pela segurança.

Greenblatt explicou que continua tendo esperança de que a paz seja possível entre Israel e os palestinos, mas isso exigiria uma mudança na liderança e a erradicação do grupo terrorista Hamas

“Portanto, o problema é, claro, a liderança, entre outros problemas. E sim, mantenho sempre a esperança”, informou ele. 

E concluiu dizendo: "Até que o Hamas seja eliminado há realmente muito pouco sobre o que falar e fazer. Mas quando isso acontecer acho que um dia talvez possa haver discussões boas, frutíferas, honestas, racionais e de boa fé e talvez algo seja vai acontecer no futuro".

FONTE: http://guiame.com.br/gospel/noticias/grupos-radicais-pro-palestina-visam-templos-nos-eua-para-fazer-protestos.html


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

MANDE SEU PEDIDO PELO E-MAIL rtsgospel@gmail.com

Top 5

top1
1. O melhor de Deus

MARCOS NUNES

top2
2. Provisão no Deserto

SILVAN OLIVEIRA e JUNIOR GARDINNI

top3
3. Gratidão

LUCELIA SANTOS e ANGÉLICA PORTO

top4
4. Vou continuar cantando

TITO e GABRIELA

top5
5. Apocalipse

AURELINO DOURADO

Anunciantes